Tecnologia

Biotecnologia na agricultura: como implementar na prática

A biotecnologia na agricultura representou um grande avanço na produtividade e qualidade das mais diversas culturas agrícolas. O Brasil possui um papel central nesse cenário, ocupando o segundo lugar entre os países que mais cultivam variedades geneticamente modificadas de grãos e fibras do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, segundo o Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). 

Não dá para negar que a tecnologia vem revolucionando às práticas no campo e promovendo resultados mais eficientes e lucrativos para o agronegócio. A biotecnologia - como um dos ramos da tecnologia - é uma das grandes responsáveis pelas melhorias das práticas de cultivo e incremento na quantidade e qualidade dos produtos agrícolas, reforçando a renda dos produtores e favorecendo o crescimento econômico. 

Se você ainda não aposta na biotecnologia como aliada da sua lavoura, continue a leitura para conhecer seus principais benefícios e como implementá-la na prática. Acompanhe!

 

O papel da biotecnologia na agricultura

A biotecnologia é definida como o conjunto de técnicas que envolvem a manipulação de microrganismos, plantas e animais com o objetivo de criar produtos ou potencializar a ação dos já existentes. Na agricultura, a biotecnologia é utilizada para tornar o cultivo de plantas mais eficazes, reduzindo perdas e aumentando a produtividade das lavouras. 

Com técnicas de última geração para realizar o uso e manipulação do DNA dos organismos, a biotecnologia  permitiu o desenvolvimento de espécies vegetais geneticamente modificadas e altamente resistentes à pragas, doenças, problemas climáticos, herbicidas, e outros problemas que eram um empecilho à produtividade agrícola.

Dessa forma, a biotecnologia na agricultura, por meio do potencial das lavouras transgênicas, consiste em uma excelente alternativa para aumentar a produtividade dos campos. Vale ressaltar que a biotecnologia também promove ganhos significativos nos teores de fibras e vitaminas de diferentes culturas, contribuindo para a produção de alimentos mais nutritivos e saudáveis.

Abaixo, reunimos os principais benefícios que comprovam a importância da biotecnologia na agricultura. Confira: 

  • maior qualidade das plantas;
  • aumento na produtividade de forma sustentável;
  • criação de espécies adaptadas a diferentes condições;
  • produção de alimentos com maior valor nutritivo;
  • desenvolvimento de espécies resistentes a pragas, doenças e agrotóxicos;
  • redução nos custos e nas perdas pós-colheita.
  • redução no uso de defensivos

 

Como implementar a biotecnologia na sua lavoura?

Muito além do melhoramento genético das plantas, a biotecnologia pode ser usada em diferentes processos relacionados à produção agrícola. Essa é uma prática que garante mais competitividade para sua lavoura e, consequentemente, aumenta a lucratividade. Por isso,vale a pena considerar os métodos da biotecnologia em sua plantação. Saiba como você pode colocar em prática!

 

Uso de microrganismos no controle de pragas

O solo é, naturalmente, repleto de microrganismos que podem ser benéficos ou prejudiciais às culturas agrícolas. Em muitos casos, a aplicação excessiva e sem critérios de defensivos acaba por matar os microrganismos do bem e ajudam a favorecer a proliferação de doenças e pragas. Como a biotecnologia estuda a parte biológica do solo, é possível colocar em prática ações corretivas com mais assertividade. 

 

Como exemplo, podemos citar estudos que identificaram e isolaram uma bactéria já existente no solo que produz uma proteína que tem ação no intestino das lagartas. Assim, o uso de bioinseticidas que contenham essa bactéria ajudam no controle de pragas. 

 

Melhor fertilização do solo

Os nutrientes presentes no solo são essenciais para o desenvolvimento saudável da plantação. No entanto, a deficiência nutricional é uma característica comum aos solos brasileiros, o que pode comprometer a qualidade e produtividade da lavoura. 

Para corrigir o problema, muitos produtores utilizam os fertilizantes NPK (nitrogênio, fósforo e potássio). Mas para além dos nutrientes essenciais, os fertilizantes frutos da biotecnologia carregam consigo matéria orgânica e biológica, promovendo uma adubação mais equilibrada e sustentável.

 

Plantio de sementes geneticamente modificadas

Como falamos no decorrer do artigo, a biotecnologia aplicada à agricultura permitiu o desenvolvimento de sementes geneticamente modificadas. Basicamente, a base da técnica é a transferência controlada de genes entre duas espécies que geram plantas mais produtivas e de maior qualidade. 

Essas sementes apresentam características que as tornam ideais para garantir a qualidade da lavoura, como resistência à pragas, ao estresse hídrico, etc. Dessa forma, em comparação com as sementes tradicionais, as sementes geneticamente modificadas representam uma maior competitividade econômica e produtiva.


Quer acompanhar mais novidades sobre agronegócio? Siga-nos no Facebook e Instagram para ficar por dentro das nossas dicas!